Cama Compartilhada

Então que aquela pessoa que antes de ser mãe torcia o nariz para a ideia de cama compartilhada e que sempre falava que quando tivesse filho ele iria dormir no cantinho dele, se tornou mãe e o que aconteceu? Pois é, paguei a língua e cá estamos nós compartilhando a cama e sendo felizes assim. eheheheh

A decisão da cama compartilhada aconteceu quase que naturalmente, depois de 40 dias de vida do Ben que voltamos para nossa casa, nas mamadas da madrugada o marido pegava o Benício, ele mamava, voltava pro berço, depois mamava e de 4 horas da manhã em diante não voltava mais e permanecia ali com a gente, no aconchego da nossa cama. Sem contar que quando ele estava no berço eu não conseguia relaxar, ficava levantando de minuto em minuto pra ver se estava tudo bem, se não estava com frio, se tava respirando (paranóia de mãe). Até que um dia não colocamos no berço, ja deixamos na cama com gente e dormimos maravilhosamente bem, o tempo foi passando e isso acontecendo todos os dias, até que eu resolvi assumir que estava totalmente dependente disso. Sim, não foi o Benício que ficou mal acostumado e sim a mãe dele. heheh
Marido também amou a ideia, porque ficou bem melhor pra ele que não precisa mais levantar para pega-lo no berço a cada mamada da madrugada. hehe
Está dando certo por aqui, amo dormir agarradinha , sentindo o cheirinho, amo a praticidade de não ter que levantar para amamentar, enfim, acho que cada um se adapta do jeito que achar melhor. Não sei por quanto tempo ficaremos assim, mas uma coisa é certa, essa fase vai passar como todas as outras, portanto deixa eu curtir meu grudinho.rs. Durante o dia ele dorme tranquilamente no berço, na rede, no carrinho, etc. O compartilhamento da cama é só a noite mesmo.

E pesquisando  achei muito mais vantagens do que desvantagens em relação a cama compartilhada e tirei definitivamente o pré conceito  e a ideia que eu tinha firmada na cabeça antes de ser mãe.

Então vamos as vantagens para os pais e para as crianças,

- Favorece o repouso - não ter que se levantar da cama para pegar o bebê no berço colabora para o repouso da mãe, já que não precisa se levantar nem estar totalmente despera para amamentar.
- Facilita o monitoramento do bebê – qual é a mãe que não se levanta à noite para ver se o filho está bem, com frio, febre, ou mesmo se está respirando? Ter a criança ao lado evita o esforço durante a madrugada.
- Favorece a proteção em situações de perigo - estando ao lado da criança, os pais podem salvar os filhos em casos de emergência como incêndio, algum ataque por parte de um animal da família, de um assalto na residência, ou mesmo de uma queda mais grave da cama. Além disso, reduz as possibilidades da criança sofrer abuso sexual.
- Fortalece os laços familiares – o fato dos pais estarem próximos e disponíveis para a criança de noite faz com que a ela crie um profundo e seguro elo afetivo com a família, inclusive com irmãos. Crianças que dormem juntas promovem um relacionamento baseado na confiança e se tornam menos rivais durante o dia. Além disso, pais que passam o dia longe podem compensar parte dessa ausência, reestabelecendo vínculos emocionais importantes com os filhos.
- Reduz o estresse da família – um bebê chorando à noite é irritante em qualquer situação. Pais que passam a noite estressados podem, inclusive, se tornar mais agressivos durante o dia. Um mal que pode prejudicar o próprio bebê, os outros filhos, a vida social e o trabalho.
Tende a ser mais segura e independente – crianças que dormem com os pais desde  bebês se mostram, ao crescer, mais corajosas e aventureiras que as que foram acostumadas a dormir sozinhas. A explicação é que a sensação de segurança ao dormir com os pais se reflete no comportamento da criança no momento atual e no futuro. Já as que ficam sozinhas sentem medo constantemente, que, por sua vez, também traz consequências à sua personalidade.
Reduz o estresse – O contato entre mãe e bebê promove a liberação de ocitocina, conhecido como “o hormônio do amor” e causa sensação de bem-estar, além ampliar as ligações afetivas. A ocitocina também reduz os índices de cortisol, o “hormônio do estresse”.
- Evita ou reduz as consequências do reflexo de moro – O reflexo de moro é uma contração, comum em bebês pequenos, que faz com que braços e pernas tremam. Ele se assusta e, se estiver sozinho, acorda apavorado, gritando alto, com altos níveis de adrenalina circulando na corrente sanguínea. A sensação que o pequeno tem é de insegurança e de que é necessário estar sempre alerta. Ao contrário, bebês que dormem com os pais são imediatamente confortados quando passam por esse  problema e, muitas vezes, nem chegam a acordar.
Reduz os riscos de falhas respiratórias e de morte súbita – Pesquisas mostram que os batimentos cardíacos e o ritmo respiratório da mãe influenciam os sistemas biológicos do bebê, o que diminui os riscos do pequeno “se esquecer” de respirar. A proximidade da mãe com o filho também faz com que, mesmo dormindo, a mãe intuitivamente perceba quando o bebê para de respirar. Se, ao contrário, a criança dorme longe, ela não sentirá. O socorro rápido nessas situações é fundamental para o salvamento.
- Diminui as chances de sufocamento – Vômitos durante o sono, uma crise súbita de asma ou até o cordão do pijama que se enrole no pescoço, os riscos do bebê sufocar enquanto dorme são muito reduzidos se os pais estiverem próximos, porque a criança tem muito mais facilidade em acordar seus pais se estiver dormindo perto deles do que em outro quarto.
- Tende a ser um adulto melhor preparado para lidar com as tensões – em vez de lidar com medo, raiva e sentimento de abandono, a criança que sente a proteção e o carinho dos pais constantemente à noite, tende a se tornar um adolescente e um adulto mais confiante, com maior auto-estima e mais bem preparado para enfrentar os desafios da vida.
Eu concordei com tudo, mas acho que cada pai, cada mãe sabe o que é melhor para si e para seu filho, pra mim cama compartilhada está dando certo, mas pode ser que pra você não. O importante é ser feliz.

E o melhor de tudo é acordar e ver esse sorriso! ♥


Usei e NÃO aprovei.

Bom e como falei no post anterior voltei para contar dos produtos que usei e não aprovei.

1 - Sabonete glicerinado mamãe bebê - não gostei pq ele não faz espuma, achei muito fraquinho.

2 - Fraldas:


  • Pampers Super Sec : não gostei porque todas as vezes que usei vazou.
  • Magic Care - Cremer: Perdi vários pacotes tamanho P...achei ela com a forma muito pequena...ficou bem apertadinha no Benício, mesmo ele ainda usando P das outras marcas. A parte que fecha achei muito grosseira e machucou ele algumas vezes qndo ficava em contato com a pele.



Por enquanto são esses, assim que tiver mais algum, volto pra contar.


Usei e aprovei

Hoje vim falar dos produtos que usei no Benício até agora e aprovei:

1 - Pomada de assadura:

Desitin - essa é a minha queridinha.


 Baby Dove - essa eu ganhei e me surpreendeu, super hidratante e tem um cheirinho delícia.

2 - Sabonete líquido cabeça aos pés Jhonsons  Recém Nascido - esse já estou no segundo e amo, pela questão da praticidade de ser cabeça aos pés e o cheirinho suave.


3 - Lenços Umedecidos:

 Johnsons Baby   - gostei pelo cheirinho suave, não gosto nada que tenha o cheiro enjoativo, por exemplo o 'Hora do sono' eu não gosto.


Pampers Sensitive: ele é bem molhadinho e o cheirinho bem suave.

4 - Fraldas:

Pampers Total Confort - é super confortável e cumpre o que promete, uso no Ben durante a noite e até hoje nunca vazou.


Nova Pampers Premium Care -  Dessa nem preciso falar ne? É top.

Em relação a custo e beneficio, as que costumo usar no dia a dia são essas:



E outra que gostei muito e usei quando nele Recém Nascido e que é bem em conta:


A maioria das fraldas eu ganhei no chá surpresa que tive..como o estoque de fraldas tamanho M acabou  tô precisando comprar agora, mas ainda temos algumas do tamanho G. E as marcas que ganhamos foram essas ai. Depois faço um post sobre o que usei e não gostei,

PS. Esse não é um post publicitário, estou apenas expressando a minha opinião sobre esses produtos.













Retorno ao trabalho

Então que o dia que eu queria que demorasse a chegar, chegou. Confesso que uns meses antes só em pensar o meu coração já ficava apertado. Eu não queria ficar longe do meu amorzinho, tão pequenino pra ficar sem a mamãe. Imaginava que seria uma fase complicada, dolorosa, afinal de contas, é nessa hora que nos damos conta de que o cordão umbilical foi cortado e que não somos mais um só.
Meu último dia de licença foi dia 30/07 e peguei mais 15 dias de férias então o meu retorno ficou pro dia 16/08, mas como era feriado, retornei dia 17, o Ben já estava com 4 meses e meio.
Então a partir do 01/08 comecei a ir todos os dias para casa da minha mãe para que ele já começasse a se adaptar a nova rotina, pois é lá que ele tá ficando enquanto estou no trabalho. Comecei a tentar dar a mamadeira, no começo foi bem complicado porque ele não tava aceitando de jeito nenhum., mas do meio pro fim , ele já tava tomando alguma coisa, mesmo resistindo no inicio.(Optei por dar a mamadeira por ser mais prático para minha tia que vai ficar com ele, mas pela pediatra seria o copinho). 
Na consulta de 4 meses conversamos sobre o meu retorno ao trabalho e falei da minha intenção de continuar com amamentação exclusiva pelo menos até ele completar 5 meses. Dai a pediatra me aconselhou a começar a fazer o estoque de leite materno e assim eu fiz e está dando certo até agora, só falta 1 semana para ele completar 5 meses, e já tô achando que minha produção diminuiu, mas quero manter firme até lá.
O primeiro e o segundo dia foram os mais difíceis, ele chorou muito sentindo falta do peito, do aconchego, não quis pegar a mamadeira de jeito nenhum. Eu ligava de 5 em 5 minutos, me dava uma aflição, uma vontade de ir embora, eu chorava, pensava em desistir, enfim.. Todo mundo me falou que era difícil , mas eu não imaginava que seria tanto. Com isso ele ficava um intervalo longo sem mamar e eu preocupada com medo dele perder peso.
A nossa rotina está sendo assim:

  • 6:00 - Primeira mamada, as vezes ele começa a mamar umas 5:30. ( dai sempre deixo um peito cheio para que eu possa extrair pela manha )
  • 7:00 - Saímos de casa e as vezes ele vai mamando ate chegar na casa da mamãe. (8:00 já estou no trabalho)
  • 10 horas, 10:30 - Ele toma a mamadeira
  • 12:00 - Saio pro almoço - ele mama no peito.
  • 14:30/ 15 horas - Mamadeira
  • 16 horas saio do trabalho e a partir dai só peitinho. (Está dando certo assim, graças a Deus)

Uma semana se passou, tem dias mais leve outros mais difíceis, assim vamos seguindo, sei que é só o tempo dele se acostumar e entender  que vai ser assim a partir de agora. Deus tem nos dado forças e paciência para superar essa fase. Não sou a primeira e nem serei a última a passar por isso. Um dia o Ben vai entender que todo esse esforço que estou fazendo de ficar longe dele por algumas horas é só pra poder dar o melhor para ele.

Próxima semana teremos a consulta de 5 meses e volto aqui para contar sobre seu desenvolvimento.

Uma fotinho do sorriso que ele deu ontem , quando fui me despedir para vim ao trabalho.



Carta ao Benício - 2 ♥

Filho,


Já fazem 4 meses e 24 dias que você chegou, são 21 semanas, 147 dias vivenciando o amor mais puro que pode existir. É tão pouco tempo, mas por outro lado parece que já tem tanto tempo, a sensação é como se a minha vida hoje só existisse por causa da sua chegada. Não sei como vivi 31 anos sem você. É intensa, muito intensa, essa nossa ligação. O jeito que você me olha, que sorrir para mim, a sua mãozinha segurando a minha, a forma como você se aconchega nos meus braços, tudo isso me faz sentir única, sim essa é a sua forma de dizer que me ama. E como sou grata a Deus por te me dado você.
Você me fez encarar a vida de uma maneira totalmente diferente, desde o dia que descobri que você estava a caminho, nesse mesmo dia uma paz e calmaria me invadiu e tem permanecido até hoje. A verdade é que você me ensinou a ser menos ansiosa, me fez desacelerar, me faz diminuir o volume e falar mais baixo, me faz ter o controle das minhas emoções negativas, você me puxa para o presente, me faz estar no aqui-agora de forma inteira, crua, literal. Você me faz ser uma pessoa melhor a cada dia.
Você é o meu primogênito, o meu primeiro e com você estou inaugurando uma série de primeiras coisas em minha vida. Você é o meu sonho, a minha realidade, o meu ar, por você faço tudo. O meu coração transborda de amor.
Te ver crescer está sendo muito legal, todo dia é uma surpresa, e como é encantadora essa coisa de ver uma vida acontecendo bem diante dos meus olhos.
Estou amando ser sua mãe, a verdade é que a cada dia tenho mais certeza de que nasci pra isso.
Estou amando aprender tantas coisas com você.
Estou amando ver nós três sendo uma equipe, um time, uma família.
Obrigada por ter vindo, filho. Obrigada por ter me escolhido. 
Estou apaixonada por você. É um estado de alma, constatação. Certeza mesmo.

Te amo com todas forças do meu ser.♥

Um abraço apertado e um cheirinho do cangote.

Com amor,

Mamãe.




Puerpério ♥

Saímos da maternidade e fomos para casa da minha mãe e ficamos os 40 dias lá.
Em relação aos cuidados com o Benício foi tudo muito tranquilo, não tive dificuldades com amamentação, ele pegou direitinho, o leite desceu logo, não tive problemas com a cirurgia, enfim o pós parto em si me surpreendeu, porque tive uma ótima recuperação e foi bem mais simples do que imaginei.
Quando fomos ter alta a pediatra falou que o Benício estava com um pouco de ictericia, mas que nao precisaria ficar internado para o banho de luz, que só o banho de sol resolveria, só que os dias que seguiram quase o sol não apareceu, amanhecia sempre nublado ou chovendo, dai comecei muito preocupada com medo da ictericia aumentar e ele precisar ser internado. Dai comecei a ficar bastante insegura, um medo me invadiu, chorava por tudo. Eu não queria ter que voltar pra maternidade e ver meu bebê tomando banho de luz. Por esse motivo levei ele na pediatra com 6 dias e ele precisou fazer o exame de sangue para medir o nível de bilirrubina, chorei junto. Mas graças a Deus a ictericia era leve e só o banho de sol mesmo resolveu, dai fui ficando mais tranquila. Tive muita ajuda do marido, da minha mãe e tia, então a minha preocupação era unica  e exclusivamente com o Benício. Todo esse apoio contribuiu para que eu tivesse um puerpério tranquilo.
O que pesou mesmo foi me olhar no espelho e não me reconhecer. Dez dias pós parto eu já tinha perdido 6kg dos 8kg que ganhei durante a gestação. Eu sempre soube que o nosso corpo muda, mas não imaginava que seria tanto, as curvas somem completamente, meus seios ficaram enormes e ganhei ate umas estrias com a amamentação porque cresceram muito.  Hoje 4 meses depois engordei 3 kgs dos 6 que tinha perdido e os meus seios tenho até vergonha, cheio de estrias vermelhas. Preciso me acostumar com meu novo corpo, mas é difícil. Sei que ele nunca mais será como antes, mas quando olho pro meu filho cheio de vida e saúde vejo que isso é o de menos e agradeço a Deus por ser mãe, por ter tido o privilégio de gerar um ser, de ter um pedacinho meu nos meus braços.
O puerpério não acabou depois dos 40 dias, essa fase de total dedicação, de total desligamento do mundo e uma ligação total com meu filho continua ate hoje, essa fusão, esse conhecimento. Foram 4 meses de total entrega, não sentia vontade de fazer as coisas de antes, de ir a lugares sem ele, nada disso. A verdade é que eu sempre soube que seria assim, eu queria que fosse assim, procurei mergulhar profundamente nesse oceano e curtir cada momento, cada fase intensamente, aproveitar cada minutinho sendo só mãe, porque eu sabia que logo, logo eu teria que voltar a trabalhar, nunca cogitei a possibilidade de largar o trabalho para ser só mãe, não dá, financeiramente falando impossível. Então se eu tinha vontade de sair, ver gente, fiz isso com ele e fomos felizes assim.
Agora estamos passando pelo processo de adaptação, está com 1 semana que voltei ao trabalho e essa ruptura, essa separação tá sendo muito difícil para nós.

No próximo post volto para contar como foi essa primeira semana de retorno ao trabalho.



4 meses do Benício ♥


Então com 4 meses comecei a tirar o leite e tentar dar na mamadeira, já preparando para o meu retorno ao trabalho. Muita dificuldade para aceitar, mas continuo insistindo, porque não tem outra alternativa. O coração da mamãe fica apertado só em pensar, mas não dá pra abandonar o trabalho, farei esse esforço por ele, para poder dá o melhor a ele.

  • Está com 62 cm e 6,400kg.
  • Continua muito risonho e simpático. Rir pra todo mundo.
  • Muito conversador, grita, canta.
  • Descobriu a língua e agora vive colocando pra fora.
  • Ama olhar para as mãozinhas, passa horas brincando com elas.
  • Teve pico de crescimento, passou uma semana muito choroso, irritado, só queria colo e justo no período de preparação para o meu retorno ao trabalho. Tivemos dois episódios em que ele começou a chorar desesperadamente dormindo e não conseguimos acalma-lo, foi o jeito esperar passar, ainda bem que não demorou muito, ele acalmou e continuou dormindo como se nada tivesse acontecido. Espero que passe logo.
  • Com 4 meses e meio já consegue segurar o brinquedo e as vezes consegue leva-lo a boca. Já senta com apoio, não gosta de ficar deitado, a maioria das vezes resmunga pra poder ficar em pé. A gente até brinca dizendo que ele é um soldadinho de chumbo. rs
  • Ama passear, tomar banho , dormir grudadinho com a mamãe, e por falar nisso nos rendemos a cama compartilhada e para nós tá sendo ótimo. Depois volto para contar mais sobre isso.
Só queria que o tempo passasse mais devagar, parece clichê, mas é a pura verdade, um dia desses eu tinha um bebê recém nascido em casa. Estou tentando não perder um detalhe, a cada dia o amor aumenta e meu coração parece que vai explodir de tanto amor. A cada dia tenho mais certeza de que nasci para ser mãe, mãe do Benício, o presente mais lindo que Deus me deu.


3 meses do Benício ♥




É...e onde aperta pro tempo passar mais devagar? Meu bebê tá crescendo tão rápido,
Cada dia uma novidade e a mamãe aqui se derrete, baba e procura registrar tudo. Cada movimento é um flash. rs
E com a chegada dos 3 meses, o meu coração já começa a ficar apertado, porque já esta perto de eu voltar ao trabalho. :(


  • Está com 6,160kg e 59cm
  • Está cada dia mais esperto, conversador todo e solta até gritinhos.
  • Continua muito bonzinho, quase não chora, prefere reclamar.
  • Acorda todos os dias sorrindo.
  • De bruços ja sustenta a cabecinha, mexe as perninhas e conseguiu virar umas 2 vezes. E quando tá de barriga pra cima já consegue virar de lado e tá ensaiando virar de bruços.
  • È muito observador.
  • Diminuiu os tempos dos cochilos.
  • Deu a primeira gargalhada com 95 dias, brincando com a priminha Ana Lara.
  • Com 3 meses e meio estreou o assento do carrinho e amou.
  • Começou a ensaiar o tato, já tenta pegar nas coisas.
  • As cólicas desapareceram. Graças a Deus.

Ps. Super atrasada com os posts, mas vou tentar colocar em dias.